PESQUISA POLÍTICA

As pesquisas políticas são instrumentos fundamentais em qualquer administração pública. Através delas, o gestor conhecerá exatamente diversos aspectos sobre a população: satisfação, expectativas, necessidades, tendências, avaliações etc.

De acordo com esse diagnóstico preciso, o gestor público poderá realizar um melhor planejamento e tomar decisões voltadas para os anseios e interesses da população. Os investimentos e os recursos públicos serão melhor distribuídos. Esse é um dos primeiros passos para uma respeitável e eficaz administração de sucesso.

As chamadas pesquisas de opinião (tanto os surveys quantitativos quanto as diversas técnicas qualitativas) são, sem dúvidas, ferramentas valiosas e indispensáveis para a compreensão da realidade atual do município, pois são os melhores instrumentos para a captação de uma parcela fundamental dessa realidade visando as projeções e crescimento da cidade.

Para uma administração de sucesso, é necessário conhecer mais sobre os servidores, seus níveis de satisfação e fazer avaliações acerca do trabalho desenvolvido. Com a Pesquisa de Clima Organizacional e com um planejamento estratégico, o município alcançará ótimos índices de produtividade e melhores serviços diferenciados à população.

PESQUISA ELEITORAL

As pesquisas eleitorais são ferramentas indispensáveis em qualquer campanha eleitoral. Sem elas, é tiro no escuro, é vôo sem radar ou navegação sem bússola. Qualquer planejamento eleitoral necessita estar amparado em pesquisas, a partir das quais se define a postura do candidato, os temas da campanha, as propostas que serão apresentadas aos eleitores, a forma de apresentá-las, quais segmentos do eleitorado devem ser priorizados e de que maneira, quais apoios são importantes, se é conveniente atacar ou não os adversários políticos etc.

As pesquisas são instrumentos flexíveis e, por isso mesmo, muito poderosos, pois podem ser planejadas para medir fatos simples ou complexos. Não obstante, a pesquisa é uma excelente ferramenta de marketing desde que se tenha consciência de seu poder, assim como de seus limites.

As pesquisas, dentro de uma campanha eleitoral, tem de ser tratadas como uma outra fonte de evidências ou um conjunto de indicadores e não como determinantes exclusivas de decisões. Ou seja, as pesquisas não devem ditar a última palavra.

As informações extraídas de cada estudo devem ser sempre avaliadas à luz da experiência, do bom senso e de outras informações pertinentes ao processo no qual elas estão inseridas.

Também é importante salientar que a pesquisa é um processo contínuo e não uma atividade restrita a época eleitoral. Uma pesquisa isolada, ainda que bem planejada, não fornece os mesmos resultados que um projeto de pesquisa continuado, onde um quadro evolutivo pode ser analisado.

É bom lembrar que, as pesquisas de opinião exercem um papel fundamental dentro de uma campanha eleitoral, pois auxiliam nas tomadas de decisão. Porém, as pesquisas não podem ser conduzidas por "aventureiros" que aparecem a cada nova eleição como se fossem experientes no assunto.

 

 

 

 

todos os direitos reservados a OPNIAO PESQUISAS SOCIAIS